Processed with VSCOcam with b3 preset

O Pensamento Baseado no Risco é a grande novidade da ISO 9001:2015. Apesar do excesso de informação (que tem retirado clareza e suscitado dúvidas), pode simplificar-se muito o assunto com alguns princípios de base muito simples. Estes são 4 desses princípios:

 

1: NÃO É OBRIGATÓRIO implementar uma metodologia específica de gestão do risco, como as que são apresentadas pela norma ISO 31000 ou pela ISO 14971;

2: O tratamento de riscos e oportunidades no âmbito dos processos NÃO IMPLICA tratamento igual para todos, devendo este ser ajustado ao nível de risco de cada um deles;

3: O tratamento dum risco NÃO TEM QUE resultar na sua eliminação;

4: O risco pode ser POSITIVO ou negativo. Exemplo muito simplificado de risco positivo: O risco de determinado produto vender mais do que o esperado, gerando disponibilidade financeira que permita (oportunidade) desenvolver mais cedo uma determinada actividade de Marketing (p.e. a presença numa feira internacional).

 

 

P.S.: A quem interessar, excertos do texto da ISO 9001:2015 que sustentam as interpretações acima.

Relativamente ao ponto 1:

“Embora em 6.1 se especifique que a organização deve planear ações para tratar os riscos, não há nenhum requisito para métodos formais de gestão do risco ou para um processo documentado de gestão do risco. As organizações podem decidir desenvolver ou não uma metodologia mais extensa de gestão do risco do que a requerida por esta Norma, p. ex. através da aplicação de outras orientações ou normas.”

Ponto 2:

“Nem todos  os  processos  de  um  sistema  de  gestão  da  qualidade  representam  o  mesmo  nível  de  risco  em termos  da  capacidade  da  organização  para  atingir  os  seus  objetivos  e  os  efeitos  da  incerteza  não  são  os mesmos para todas as organizações. De acordo com os requisitos de 6.1, a organização é responsável pela forma como aplica o pensamento baseado em risco e pelas ações que empreende para tratar o risco, incluindo o reter ou não informação documentada como evidência da forma como determinou os riscos.”

E também: “As ações empreendidas para tratar riscos e oportunidades devem ser proporcionais ao impacto potencial na conformidade dos produtos e serviços.”

Ponto 3:

“As opções para o tratamento de riscos podem incluir: evitar os riscos, assumir o risco tendo em vista perseguir uma oportunidade, eliminar a fonte do risco, alterar a verosimilhança ou as c111onsequências, partilhar o risco ou decidir manter o risco por decisão informada.”

Ponto 4:

“Risco é  o  efeito  da incerteza e qualquer incerteza pode ter efeitos positivos ou negativos. Um desvio positivo que resulte de um risco  pode  proporcionar  uma  oportunidade.”

Pin It on Pinterest

Share This

Partilhar

Partilhar

Partilhe este conteúdo!

%d bloggers like this: