O cérebro processa melhor e mais rápido quando é provocado por uma folha de papel totalmente branca, sem linhas ou quadrículas, e quando lhe é pedido que trabalhe em parceria com representações materiais das relações que formam os problemas.

Em português:

A memória perde por dez a zero contra uma adequada esquematização dum problema, ideia, ou possibilidade (em papel ou noutro suporte).

Há que desenhar! (setas, quadrados, formas personalizadas, rabiscar, esboçar, rasurar, voltar a esboçar…)

Existem múltiplas técnicas de visualização de dados, cada uma delas adequada a um determinado contexto, e a sua utilização pode operar “milagres”!… – temos mais ideias, memorizamos melhor, relacionamos melhor, somos mais rápidos a decidir, e, finalmente, conseguimos explicar e persuadir melhor.

 

Uma história: (verdadeira)
Um cliente tinha instituído um grupo de trabalho que reunia de duas em duas semanas para “resolver problemas”.
Ao fim de seis meses de actividade:

  • Aplicaram um Pareto (aquiaqui e aqui)
  • E verificaram que tinham estado a… fazer nada – porque só aí, depois de lido o gráfico, perceberam que a maioria dos problemas ocorridos (os tais 80% da regra) se deviam a dois motivos apenas.
  • E, então, resolvidos estes dois motivos, deixaram de ter de reunir.

Exemplo: esta imagem ilustra como a utilização de diferentes tipos de gráfico pode ser associada a diferentes tipos de informação a apresentar e analisar.

Chart Suggestions, A Thought Starter

Imagem obtida aqui.

 

O QUE EU FAÇO:

 

  1. Apresento portfolio de ferramentas adequadas a diferentes problemas e contextos;
  2. Proponho as ferramentas adequadas à realidade do cliente (as mais intuitivas, práticas, rápidas de executar, e capazes de proporcionar os melhores resultados);
  3. Faculto de forma gratuita e definitiva vários suportes para operacionalização (ficheiros informáticos);
  4. Coordeno, oriento, e participo na aplicação;
  5. Participo na análise de resultados;
  6. Promovo a definição de acções de melhoria;
  7. Suporto as alterações documentais necessárias;
  8. Coordeno e participo na operacionalização das acções.

Pin It on Pinterest

Share This

Partilhar

Partilhar

Partilhe este conteúdo!

%d bloggers like this: